Mineração e a busca da sustentabilidade

0
110

mineracaoEm cada produto ou material comercializado no Brasil, há uma porcentagem dos produtos provenientes da extração de minerais no país. Desde o material que faz parte das paredes das casas, até as tintas que colorem roupas e dão vida as letras dessa revista, os papéis e móveis, passando pelas embalagens e até alimentos. Todos esses produtos contêm minerais em sua composição ou são gerados a partir de minérios, evidenciando a importância da mineração na vida do planeta. Cerca de 80% do que se utiliza nos dias de hoje tem a presença de minerais e isso faz com que o setor seja responsável por uma grande movimentação econômica. Só no Brasil, um terço do PIB vem da mineração, incluindo a questão de comercialização e empregos relacionados à área.

O Brasil, por sua grande extensão territorial, tem um grande potencial na área de mineração. Estados como Minas Gerais, Pará e Bahia são depósitos desses materiais e sustentam as necessidades do Brasil e do exterior na questão de extração de minerais. No Brasil, as grandes quantidades de minérios disponíveis para extração fazem do país um pólo na produção e grande fornecedor de minerais para a indústria mundial.

O Paraná é um estado potencial dentro do setor de mineração. Hoje, de acordo com dados da Mineropar, o estado é o segundo maior produtor de cimento do país, com a maior planta individual do Brasil na área cimenteira. A produção do Paraná hoje tem como destaques a produção do calcário agrícola, da cal, areias, britas, água mineral, argilas para a indústria cerâmica, minerais não metálicos, cimento, ouro, diamantes, pedras semi-preciosas, xisto e carvão. De acordo com Eduardo Salamuni, diretor presidente da Mineropar, “a produção mineral do Paraná atende toda a necessidade do estado, principalmente nas atividades que necessitam de produtos minerais na sua produção. É o caso da produção agrícola. Hoje, a produção de calcário agrícola do Paraná é toda consumida dentro do estado. Isso garante, inclusive, a competitividade de preços dos produtos agrícolas diante a produção de outros estados.”

Para o Coordenador do Conselho Setorial da Indústria Mineral da FIEP, Cláudio Grochowicz, o setor de mineração no Paraná tem crescido muito nos últimos anos e tem ainda potencial de crescimento elevado. “Hoje o Paraná produz mais de 20 milhões de toneladas anuais de minérios. Os salários e a busca por profissionais qualificados vêm crescendo no setor, que está se transformando em um excelente ambiente para a carreira de novos profissionais em diversas áreas. Para ter uma ideia, o Paraná produz 11,8% de todo o cimento produzido no Brasil. Além disso, são produzidos aqui 4% dos pisos e revestimentos, 24% do calcário agrícola de todo o Brasil e 28% da cal brasileira”, comenta Grochowicz.
Questões ambientais na mineração

Além da produção com níveis considerados bons diante do cenário brasileiro, a indústria mineradora do Paraná está caminhando dentro das questões ambientais na produção. De acordo com Salamuni, algumas empresas do Paraná já estão preocupadas com a correção do solo após esterilização das minas. “Temos alguns bons exemplos de cuidado com a extração e a manutenção dos espaços após a retirada de material, como a Petrobrás em São Mateus do Sul e a extração de areia no Rio Paraná”, comenta Salamuni. Buscando melhorar as questões ambientais nas empresas mineradoras paranaenses, a Mineropar tem estabelecido um programa de aconselhamento técnico às empresas mineradoras do estado. Com isso, tem feito uma ponte entre os produtores e os órgãos fiscalizadores, favorecendo o cumprimento da legislação.

O engenheiro civil Fauáz Abdul-Hak, presidente da Associação Nacional das Entidades de Produtores de Agregados para Construção Civil (Anepac) e responsável pela empresa paranaense Pedrapar, é um dos apoiadores da questão da sustentabilidade na atividade de mineração. “Existem inúmeros exemplos de mineração muito próxima de grandes centros e que coexistem harmoniosamente. A sustentabilidade é um conceito muito amplo, porém se olhado pelo lado prático, uma mineração gera emprego e renda, tributos e o próprio minério, essencial para o desenvolvimento. Então é sustentável”, afirma Hak.

Para Grochowicz, o futuro da mineração em harmonia com o meio ambiente vem do alinhamento de projetos na área. “Os planejamentos estratégicos, contemplando a inovação, a sustentabilidade e a agregação de valor nas suas plantas de industrialização são a forma de encontrar o equilíbrio no crescimento no setor com responsabilidade ambiental. Para o futuro, será preciso controlar o aumento racional das lavras, através da melhoria da qualificação de sua mão-de-obra e do uso de técnicas que permitam um melhor aproveitamento das jazidas a um menor custo”, afirma.
Fonte: Revista Geração Sustentavel


Deixe uma resposta