Fiocruz repassa 11,5 milhões de vacinas contra febre amarela

0
96

vacinaMais de 11,5 milhões de doses da vacina contra febre amarela serão disponibilizadas para reforçar o estoque estratégico. De forma imediata, a Fiocruz/Biomanguinhos repassará 6 milhões de doses. Além disso, a fundação possui ainda 5,5 milhões de doses que serão entregues de acordo com as solicitações do Ministério

A Bio-Manguinhos vai produzir 9 milhões de doses por mês, quantidade que pode ser ampliada. “Estamos em contato e articulação diária com os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Bahia e São Paulo para dar todo o suporte necessário”, garante o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Adeilson Cavalcante.

Desde o início do ano, o ministério envia doses extras aos estados com casos suspeitos e àqueles que fazem fronteira com outros que registram casos confirmados.

“Focar a vacinação em áreas de risco é a melhor maneira de conter a situação do momento, oferecendo eficácia e segurança para a população”, explica o diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis, Eduardo Hage.

No total, 5,4 milhões de doses extras foram enviadas para cinco estados: Minas Gerais (2,9 milhões), Espírito Santo (1,05 milhão), Bahia (400 mil), Rio de Janeiro (350 mil) e São Paulo (700 mil).

Vacinação de rotina

O quantitativo é um adicional às doses de rotina do Calendário Nacional de Vacinação, enviadas mensalmente aos estados, que totalizaram 650 mil em janeiro.

A vacinação de rotina é ofertada em 19 estados do País com recomendação para imunização. Todas as pessoas que vivem nesses locais devem tomar duas doses da vacina ao longo da vida.

Também precisam se vacinar, neste momento, pessoas que vão viajar ou vivem nas regiões que estão registrando casos da doença: leste de Minas Gerais, oeste do Espírito Santo, noroeste do Rio de Janeiro e oeste da Bahia.

Boletim epidemiológico

Nessa terça-feira (24), o Ministério da Saúde registrou 438 casos suspeitos de febre amarela, sendo 89 mortes. Do total, 364 permanecem em investigação, 70 foram confirmados e quatro descartados.

Das 89 mortes notificadas, 40 foram confirmadas e 49 permanecem em investigação. Os casos foram registrados em Minas Gerais, Espírito Santo, Bahia, São Paulo e Distrito Federal. Minas Gerais é o estado com o maior número de registros até o momento.

Fonte: Ministério da Saúde


Deixe uma resposta